O morcego mais feio do mundo é encontrado no Vietnã


Por Dalane Santos    29/2/2012
Nenhuma lista com os animais mais bonitinhos do mundo colocaria o morcego em suas fileiras, mas cientistas vietnamitas descobriram, em 2008, uma espécie que realmente “não se ajuda” no quesito beleza. Na época, eles achavam que se tratava do já conhecido morcego nariz-de-folha (Phyllostomidae), que habita a América Latina. Recentemente, no entanto, descobriram que se trata de uma nova espécie, muito mais rara e ainda mais feia.

Este novo morcego já foi batizado com o nome científico de Hipposideros griffini. Seu nariz é composto por um estranhíssimo conjunto de membranas que ficam expostas como pétalas de uma flor. E as diferenças entre o H. griffini e o velho morcego nariz-de-folha já começaram a aparecer. Enquanto oPhyllostomidae reage violentamente em cativeiro, o novo morcego é geralmente dócil.
O habitat natural do H. griffini são as florestas úmidas do sudeste asiático, e os cientistas explicam que foi mais fácil capturá-lo durante a estação das chuvas, quando havia mais indivíduos. O morcego habita dois parques naturais no Vietnã.
Tal descoberta, conforme explicam os pesquisadores, abre dois novos desafios. O primeiro é estudar mais sobre a vida e os hábitos do próprio Hipposideros griffini. O segundo é apenas uma projeção, mas os cientistas têm esperanças que estas florestas sejam o lar de uma ampla e ainda desconhecida fauna de morcegos. [National Geographic]

Misterioso monstro “cão-porco” aterroriza a África


29/2/2012   por Natasha Romanzoti 
O norte da Namíbia, na costa sudoeste da África, está aterrorizado por uma criatura híbrida de cachorro e porco. A “besta” foi relatada como sendo em grande parte branca e diferente de tudo que os moradores já viram na vida, com uma cabeça canina e um corpo quase sem pelo de um porco gigante.
O animal foi visto perseguindo e atacando cães, cabras e outros animais domésticos nesta região árida, não muito longe do deserto de Kalahari.
Como muitas vezes acontece quando boatos de monstros se espalham por áreas rurais ao redor do mundo, alguns moradores tomaram precauções de segurança adicionais, tais como viajar em grupos e se armar.
Já vimos isso antes: em 1995 e 1996, alguns porto-riquenhos se armaram contra a besta vampiresca “Chupacabra”, e, no ano passado, os moradores da Malásia patrulharam as ruas em busca do misterioso “orang minyak”, ou “homem oleoso”, criatura que recentemente aterrorizou o país.
Um oficial da Namíbia, o conselheiro regional Andreas Mundjindi, foi citado no jornal Informante como dizendo: “Este é um animal estranho que as pessoas nunca viram antes. Nós não temos uma floresta aqui, apenas arbustos. Então, isso deve ser magia negra em jogo”.
Algumas pessoas na área ligaram o animal a um rumor de um bruxo ou feiticeiro, sugerindo que é seu animal de estimação.
A suposição de que a besta tem origens mágicas não é surpreendente. Uma pesquisa de 2010 descobriu que a crença na magia é generalizada em toda a África subsaariana, com mais da metade dos entrevistados dizendo que acreditavam em bruxaria e feitiçaria.
Esta não é a primeira vez que animais incomuns são avistados em áreas rurais da Namíbia; vários outros monstros foram relatados ao longo dos anos, incluindo em julho de 2009, quando criaturas desconhecidas teriam sugado o sangue de gado, incluindo quase duas dúzias de cabras.
Embora ninguém tenha visto os monstros, eles disseram ter pegadas semelhantes às de um cão, mas muito maiores.
A polícia seguiu as pegadas, que misteriosamente paravam em um campo aberto, como se a criatura tivesse lançado voo de repente ou desaparecido. Naquela época, os moradores também foram convencidos de que a estranha criatura era o produto de magia negra – indo tão longe quanto acusar um homem velho e sua irmã de conjurar a criatura.
Não está claro se os habitantes locais acreditam que o atual cão-porco é a mesma criatura que aterrorizou a região há três anos.
Seja uma fera real ou não, uma grande preocupação é que a crença nessas criaturas seja usada como uma desculpa para ataques da máfia sobre homens e mulheres idosos suspeitos de bruxaria.[LiveScience]

Deletar amigos é nova tendência no Facebook

Por Bernardo Staut
29/2/2012   O Facebook aparentemente está cada vez mais “antissocial”. Os membros estão ficando cada vez mais seletivos, deletando comentários, marcações em fotos e até amigos, de acordo com um novo estudo lançado na última sexta-feira.
O instituto realizador do estudo, o Pew Internet and American Life Project, está chamando este fenômeno de “a poda” das redes sociais, e inclui descobertas como essas: 63% dos usuários deletaram pessoas, outros 44% deletaram comentários feitos por outros em suas páginas, e 37% retirou as marcações de fotos.
“Usuários de redes sociais estão ficando mais ativos nos cortes e no comando de suas contas”, afirma Mary Madden, pesquisadora sênior da Pew.
Os membros também estão com um papel mais ativo no sentido de manter suas informações privadas, com 58% dos usuários afirmando que usam níveis altos de privacidade, para que apenas os amigos vejam suas informações.
As mulheres são ainda mais restritivas, com 67% usando o nível mais alto de segurança, comparado a 48% dos homens. Eles protegem suas contas, contrariando o fato de que metade de todos os usuários afirma ter “certa dificuldade” ao usar os controles de privacidade.
“Pesquisadores sociais vêm comentando há muito tempo a grande desconexão entre as atitudes e práticas acerca das informações privadas online. Quando questionadas, as pessoas dizem que isso é importante para elas; quando observadas, suas ações sugerem o contrário”, diz o relatório da Pew. A mudança para um Facebook mais privado parece quebrar essa tendência antiga.
Talvez um dos motivos desse movimento seja o arrependimento. O estudo descobriu que 11% dos usuários do Facebook afirma ter postado algo de que se arrependeram. Homens têm o dobro de chance de afirmar isso (15%). Usuários com mais de 50 anos, com uma taxa de 5%, têm muito menos tendência a expressar isso do que os com menos de 29 anos (15%).
Uma área onde a idade não faz diferença é nas definições de privacidade. Enquanto 23% dos membros com 65 anos ou mais escolhem a privacidade mais baixa, 22% com menos de 29 anos escolhem o mesmo.
“As escolhas que os adultos fazem para suas privacidades são as mesmas que os jovens”, afirma o relatório.
Adultos jovens também têm mais tendência a cancelar amizades (71%) em comparação com os mais velhos (41%).
O estudo é baseado em uma pesquisa com 2.277 adultos americanos em maio, e tem uma margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.
O estudo mostra uma mudança se comparado a outro feito pela Pew em 2009. Na época, somente 30% haviam retirado marcações de fotos, em comparação com 37% em 2011; e somente 56% haviam cancelado uma amizade, contra 63% em 2011. [MSN]

Em entrevista, Reynaldo Gianecchini nega ser homossexual, mas omite se é bi "Penso que essa questão da sexualidade é muito mais complexa do que as pessoas tendem a achar".

28/2/2012

Reynaldo Gianecchini abriu o coração na emocionante, esclarecedora e otimista entrevista que deu à revista Época que está nas bancas. Em um vasto relato, o ator fala da descoberta do câncer no sistema linfático, do doloroso tratamento e se defende dos boatos que se seguiram como supostamente ser gay e portador do vírus da aids. O galã, após tratamento de quimioterapria, se submeteu a um autotransplante de medula em busca da cura da doença. Recuperado, ele já teve alta médica para trabalhar. Vislumbrando o futuro e a perpetuação de seu DNA, Giane ainda revela que só agora pensa em ter um filho.
Polêmica com ex-empresário
“ Outro caso tratado de forma muito leviana. Essa é uma história que tem muitos desdobramentos, que envolve dinheiro, bens e contas. Ele não era meu empresário. Era uma espécie de administrador. Administrava toda a minha vida profissional e até minha casa. Como eu estava sempre viajando, precisava de alguém assim. É uma história que vai levar dez anos na Justiça. Eu o estou processando, porque tem muito dinheiro meu de que ele precisa prestar conta. Não é uma questão amorosa, definitivamente, que está em jogo. Não é uma questão homossexual. Fui ameaçado no meu patrimônio maior, a minha imagem. Mas é uma questão de trabalho, e precisa ser comprovado por A mais B onde foi parar meu dinheiro.”
Hétero ou bissexual?
“Penso que essa questão da sexualidade é muito mais complexa do que as pessoas tendem a achar. Cada um tem sua sexualidade. Nunca tive uma história com um homem, nunca fui casado com um homem, nunca tive um romance com um homem. Mas a sexualidade, ou a sedução, é outra coisa. A gente é sexual no dia a dia sem transar. Conheço amigos que seduzem homem, mulher, seduzem a porta. A gente é mais sensual nos trópicos. Mas essas coisas são muito íntimas e, no meu caso, sou tão discreto que, se a história está publicada numa revista como fofoca, pode ter certeza de que é mentira.”[meionorte]

Aluna de 10 anos morre após briga 'por causa de garoto' nos EUA

Atualizado em 28 de fevereiro, 2012 - 05:22 (Brasília) 08:22 GMT

Jovem passou mal após briga, foi levada ao hospital e operada de um coágulo no cérebro
Uma menina de dez anos de Long Beach, Califórnia (EUA), morreu após uma briga com uma colega de escola da mesma idade, na última sexta-feira.
A polícia ainda investiga as causas da morte e da disputa entre as duas garotas, mas testemunhas ouvidas pela imprensa local dizem que a briga foi por causa de um garoto.
Notícias relacionadas

O caso foi classificado nesta segunda-feira como um homicídio, causado por um "forte trauma" na cabeça da vítima.
Joanna Ramos, 10, e sua colega brigaram após as aulas de sexta-feira à tarde. A polícia acredita que nenhuma arma tenha sido usada e que o confronto tenha durado apenas um minuto. As duas garotas saíram caminhando, sem nenhum sinal visível de trauma em seus corpos.
Porém, mais tarde, Joanna passou mal e foi levada por seus parentes ao hospital. Chegou lá inconsciente e sem respirar, foi operada (aparentemente para a retirada de um coágulo no cérebro), mas não resistiu. Morreu na mesma noite.
'Saber o que aconteceu'

Briga ocorreu após as aulas de sexta-feira em escola de Long Beach
"Minha filha começou a se queixar de que não se sentia bem. (...) Levamos ela ao hospital, mas era tarde demais. Ela estava em coma", disse à emissora Fox a mãe de Joanna, Cecilia Villanueva. "Quero saber o que aconteceu."
Uma tia da garota disse ao jornal Long Beach Press-Telegram que acreditava que mais de uma garota poderia ter se chocado com sua sobrinha.
A polícia interrogou a outra menina envolvida na briga, mas não deu mais detalhes sobre o caso.
Há relatos de que a briga já tivesse sido marcada pelas meninas - ou seja, de que não tenha sido espontânea. Mas autoridades ligadas à escola disseram não saber da rivalidade entre as duas.
De acordo com o Long Beach Press-Telegram e a emissora local KTLA, havia relatos de bullying na escola, mas nenhum aluno interrogado disse que Joanna era um alvo de gozações.
"Ainda estamos tentando colocar as peças desse quebra-cabeça no lugar", disse à imprensa o vice-chefe da polícia local, Robert Luna.
Até a noite de segunda-feira, ninguém havia sido detido por conta do caso.[bbc]

Pai oferece US$ 100 mil de recompensa para quem encontrar corpo do filho

Atualizado em 28 de fevereiro, 2012 - 06:50 (Brasília) 09:50 GMT

Matthew Leveson desapareceu há mais de quatro anos
O pai de um rapaz australiano, desaparecido desde 2007, ofereceu uma recompensa equivalente a cerca de US$ 100 mil (R$ 180 mil) por informações que levem ao corpo de seu filho.
Matthew Leveson tinha 20 anos de idade quando foi visto pela última vez, saindo de uma casa noturna de Sydney com seu namorado, Michael Peter Atkins, às duas horas da manhã, quatro anos e meio atrás.
Notícias relacionadas

Seu carro foi encontrado abandonado alguns dias depois, mas seu corpo nunca foi localizado. Dentro do carro, havia um recibo de compra de uma pá de jardim e um rolo de fita adesiva.
Apesar da falta de definição sobre o que aconteceu com Matthew, a família do rapaz nunca desistiu de descobrir a verdade.
Tatuagens
Segundo relatos da mídia australiana, em noites de lua cheia e céu claro, o pai de Matthew, Mark Leveson, dirige até um parque nacional na cidade para tentar encontrar um local onde o corpo do filho pode estar enterrado.
"Não há nada certo que indique que seu corpo está lá. Mas eu tenho que começar em algum lugar", disse ele ao Sydney Morning Herald.
Desde o desaparecimento do filho, o pai tatuou no corpo frases que demonstram seu desespero por descobrir o que aconteceu.
Nos braços, ele tem tatuagens que dizem: "A morte deixa uma dor que ninguém pode curar", "O amor deixa lembranças que ninguém pode roubar" e "Fiat Justitia" (Que a justiça seja feita).
Acusação de assassinato
Em 2008, o namorado de Matthew, que era 24 anos mais velho que ele, foi preso e acusado de seu assassinato. Amigos de Matthew disseram que ele não estava feliz no relacionamento.
Após julgamento, Atkins foi inocentado pelo júri.
As investigações continuaram, mas nada de significativo foi descoberto.
"Há uma pessoa, ou pessoas, em algum lugar que sabe o que aconteceu com Matt. Estamos novamente fazendo um apelo para que eles apresentem informações que possam ajudar a família Leveson e permitir que eles enterrem seu filho", disse o inspetor da polícia Rohan Cramsie.
"Há muitas perguntas sem resposta e, até o momento, os investigadores não conseguiram descobrir o que aconteceu com Matthew. Esperamos que esta recompensa funcione como um incentivo."[bbc]

WikiLeaks: Stratfor, em parceria com jornal brasileiro, capta informações para EUA e prediz morte de Chávez

28/2/2012 13:43, Por Redação - de São Paulo


A Stratfor é uma espécie de agência privada de inteligência, nos EUA, com ramificações por todo o mundo
Denunciada nesta segunda-feira em uma série de telegramas vazados na internet, pela página do WikiLeaks, a possível parceria entre o diário conservador carioca O Globo e a Stratfor Global Intelligence, pode ser a responsável pelo vazamento da notícia de fundo na polêmica nota do colunista Merval Pereira, publicada na edição de 16 de fevereiro, na qual ele prediz a morte do líder venezuelano, Hugo Chávez, em menos de um ano. A empresa norte-americana fornece serviços de inteligência confidenciais para grandes corporações dos EUA e também para e agências governamentais, incluindo o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos , os fuzileiros navais norte-americanos e Agência de Inteligência de Defesa dos EUA.
Pereira aponta sua fonte na pessoa do ex-embaixador dos Estados Unidos na OEA, Roger Noriega, que “invocando informações de dentro do governo venezuelano, escreveu artigo recentemente no portal de internet da InterAmerican Security Watch intitulado A Grande mentira de Hugo Chávez e a Grande Apatia de Washington. Nesse artigo ele dizia que o câncer está se propagando mais rapidamente do que o esperado e poderia causar-lhe a morte antes mesmo das eleições presidenciais”, escreveu o cronista de O Globo.
Nos e-mails da Stratfor, divulgados nesta manhã, porém, consta em data imediatamente anterior, a mesma informação que O Globo veicula logo depois, a de que Hugo Chávez terá cerca de um ano de vida. “O Presidente venezuelano sofre de um câncer na próstata que teria feito uma metástase para o cólon, o sistema linfático e a medula espinhal. A situação terá sido agravada pelo fato de Chávez ser ‘um paciente péssimo’ que interrompe tratamentos para realizar aparições públicas e participar em encontros políticos”, escreveu a agência norte-americana. Segundo a Stratfor, o líder venezuelano é acompanhado não apenas por uma equipe de médicos cubanos, mas por outra, de clínicos russos, sendo que os dois grupos têm visões opostas sobre a melhor estratégia de tratamento.
Parceria explosiva
Entre os 5 milhões de e-mails confidenciais da Stratfor, vazados há algumas horas, as mensagens trocadas entre julho de 2004 e dezembro de 2011 revelam a rede de informações formada pela Stratfor, assim como sua estrutura de pagamentos, técnicas de camuflagem da remuneração aos seus colaboradores, inclusive no Brasil, e métodos psicológicos utilizados na captura das fontes de informação.
“Este material mostra como funciona uma agência privada de informações e como fixam um alvo para os seus clientes empresariais e governamentais”, acrescenta o comunicado da Wikileaks, que salienta, ainda, ter provas da ligação da Stratfor a grandes companhias como a Dow Chemical Co e agências governamentais.
Ainda de acordo com esta leva de mensagens, obtidas após a invasão dos computadores da Stratfor por militantes do grupo Anonymous, há algumas semanas, um grande jornal brasileiro é parceiro da empresa com o objetivo de manter os norte-americanos informados sobre assuntos estratégicos àquele país, no Brasil, e a análise de cronistas e repórteres em temas relevantes para os serviços de inteligência do Departamento de Segurança Interna dos EUA , os fuzileiros navais norte-americanos e a Agência de Inteligência de Defesa dos EUA.
Nos Arquivos Globais de Inteligência, título da remessa de informações do WikiLeaks sobre a empresa de “inteligência global” constam o funcionamento interno de uma empresa que atua como uma editora de inteligência, mas fornece serviços de informações confidenciais para grandes corporações, como a Dow Chemical Co. de Bhopal, a Lockheed Martin, Northrop Grumman, Raytheon, além daquelas agências governamentais.
Leia, aqui, parte dos e-mails que circularam entre os integrantes da Stratfor:
LEMBRETE da Confederação – Lista de Anseios do Brasil E-mail ID-5502132
Data: 2011/12/05 15:33:37
De: allison.fedirka @ stratfor.com
Para: econ@stratfor.com, latam@stratfor.com
Lista de nomes-econ@stratfor.com
Estarei enviando a lista de orientações para o nosso parceiro Confederação amanhã. Obrigado a todos aqueles que responderam. Incluí e exemplifiquei uma lista de itens no final deste e-mail. Por favor, sintam-se livres para fazer alterações ou adicionar qualquer coisa ao e-mail.
————————————————– ——————–
Oi a todos,
Ontem me encontrei com um parceiro da confederação brasileira, um grande jornal daqui. Ontem me encontrei com o POC (POC (Militar) = Point Of Contact: Ponto de Contato – http://wikileaks.org/wiki/POC_(military)) [ponto de contato] principal, bem como o cabeça do jornal para discutir como poderíamos tornar a nossa parceria mais produtiva.
Uma das coisas que o jornal solicitou de nós foi uma lista de itens específicos de nosso interesse. Nosso POC (ponto de contato) está disposto a nos colocar em contato com vários repórteres que são especialistas em nossas áreas de interesse. Essas pessoas estarão disponíveis para bate-papos em geral e também questões específicas.
Então, o que eu preciso é de uma lista de itens que nos interessam. É necessário que tenha um bom equilíbrio entre específico versus geral.
Depois de pronto, eles terão uma idéia melhor de quem colocarão em contato com a gente. Então, poderemos enviar perguntas específicas, por exemplo: como é que o derramamento de petróleo pela Chevron afeta os regras do petróleo?
Ontem eu conheci pessoas que podem ajudar com a macroeconomia / política, infra-estrutura e política brasileiras. Então, essas seriam boas áreas para se obter alguns itens de nosso interesse. Esta lista será útil tanto para a cooperação e para atualização da nossa orientação. Gostaria de obter essa lista para o nosso POC na segunda-feira da próxima semana ou terça-feira no mais tardar.
Obrigado,
Allison
Economia
- A decisão política sobre crescimento, inflação
- Disputas comerciais com a Argentina
- Relação com a China; investimentos em energia, dumping de mercadorias, concorrência no setor
Infra-estrutura
- Modernização dos projetos portuários
- Medida a ser implementada para se certificar de que os projetos da Copa do Mundo serão concluídos dentro do prazo
Defesa
- Os exercícios militares na fronteira
- 13 tratados com os países fronteiriços para coordenar os esforços na luta anti-droga
- Qualquer pressão sobre os orçamentos militares em face de restrições financeiras
Política brasileira
- Remodelação do gabinete em Janeiro (2012, acredito – posse de Dilma)
- Resultados e conseqüências da votação para divisão do Estado do Pará.
Bobo da corte
Entre as mensagens trocadas pelos ‘analistas’ da Stratfor, o ex-presidente do Governo espanhol José María Aznar (1996-2004) seria uma espécie de ‘bobo da corte’ de um grupo de espiões norte-americanos, como revelou o Wikileaks. Voluntários da Wikileaks, organização fundada por Julian Assange, revelam que, além do parceiro brasileiro, a Stratfor mantém acesso pleno a mais de vinte jornais de todo mundo.
Em um das mensagens eletrônicas que a diretora de Inteligência Geopolítica de Stratfor, Reva Bhalla, troca com outros analistas e agentes, ela comenta que Aznar é bem mais extremista, mais até do que os servidores públicos israelenses a que tem acesso.
“Caramba!”, escreve Bhalla na primeira linha de seu relatório, “o senhor presidente é um ultra (hardcore, no original). Ele se crê sinceramente que todos os terroristas são iguais e que nada que não seja uma guerra total pode derrotá-los. Está rotundamente na contramão de qualquer tipo de negociação com terroristas e critica duramente a França, Alemanha e outros (países) por esta questão”.
Em duas outras mensagens, os espiões debocham de Aznar, outrora chefe do Executivo ibérico e presidente honorario do conservador Partido Popular (PP, oficialista). Estes e-mails fazem menção ao seu cabelo “seus maravilhosos cachos” e ao fato de ir impecavelmente vestido.
Tudo começou por uma mensagem na qual a diretora de Inteligência Geopolítica dessa “CIA na sombra” informa a todos os analistas da empresa de que se dispõe a assistir a uma conferência de Aznar em Georgetown (Washington, DC), em 16 de novembro de 2010.
“Alguém tem perguntas para o ex-presidente espanhol Aznar, não vá ficar sonolento?”, caçoou Bhalla antes de assistir à dissertação.
“Podes simplesmente dizer de minha parte: boa tentativa culpar a ETA, replicou zombador Bayless Parsley, especialista sobre África.
Parsley referiu-se depreciativamente à insistência com a que Aznar tratou de imputar-lhe a ETA a autoria dos atentados de 11 de março de 2004 em Madri.
Bhalla destaca que Aznar está “muito ideologizado” e é “de linha dura”, mas destaca que ele também está envergonhado de sua derrota eleitoral em 2004, “pela qual ele já pagou”. Depois, em outra mensagem, a servidora da Stratfor volta ao tema do cabelo:
“Vai impecavelmente vestido, leva o cabelo mais formoso… Tão sedoso e brilhante! Poderia perguntar-lhe que tipo de xampu usa…”. As informações são do diário lusitano Público.[correiodobrasil]

Animais selvagens tomam conta de Chernobyl

28/2/2012   Após o desastre nuclear de Chernobyl, em 1986, uma área de mais de 1400 km quadrados em volta da antiga usina foi abandonada. Chamada de Zona da Exclusão, ela fica localizada entre a Ucrânia e a Bielorrússia e, até hoje, mais de 25 anos após o acidente, apresenta níveis de radiação gama 1000 vezes acima do normal.

Apesar disso, animais selvagens frequentam a região e plantas tomam conta das antigas construções. É possível ver matilhas de lobos, bandos de pássaros migratórios, cavalos selvagens, veados e outras espécies por lá. Mas como isso aconteceu após o acidente nuclear?

Éden da vida selvagem?

Segundo a autora de Wormwood History, a natural story of Chernobyl, Mary Mycio, a conclusão é que a presença humana é mais prejudicial aos animais do que a própria radiação. “Em um dia em Chernobyl é possível ver mais animais soltos do que em sua vida inteira”, conta.

Em 2006, um relatório feito por cientistas no Fórum de Chernobyl (evento que marcou o aniversário de 20 anos do desastre), afirmou que não só as populações de animais estavam crescendo na zona de exclusão, como nenhum efeito negativo da radiação era percebido.

Mas alguns cientistas acreditam que nem tudo são rosas. Timothy Mousseau, professor de biologia da Universidade da Carolina do Sul esteve em Chernobyl pelo menos uma vez por ano desde 1999 – e o que ele viu por lá não é nada animador. “Observamos vários efeitos causados pela radiação: anormalidades no desenvolvimento, tumores, cérebros menores do que a média e defeitos no esperma desses animais”, explica.

Analisando uma espécie de andorinha local, por exemplo, o cientista percebeu que uma grande parte delas apresentava defeitos nos olhos e nos bicos, assimetria na cauda e espermatozóides deformados. Ou seja, esses pássaros têm uma dificuldade maior em caçar e se reproduzir, comprometendo a continuidade da espécie.

Além da Zona de Exclusão

No caso das andorinhas, isso não compromete apenas os animais de Chernobyl. Por serem aves migratórias, elas poderiam acasalar com membros de outros grupos e espalhar as mutações causadas pela radiação para além da área afetada, comprometendo a espécie como um todo.

“As conclusões do Fórum de Chernobyl não foram baseadas em nenhum dado científico. No relatório eles até chegam a falar que os tumores que apareceram em humanos após o acidente foram causados pelo fumo e não pela radiação”, argumenta Mousseau. “Uma pesquisa com rigor acadêmico como a nossa, que se presta a contar os animais de forma científica, mostra que não está tudo bem em Chernobyl. E que algo parecido já está acontecendo em Fukushima”.

Mas, da mesma forma que Mousseau mostra a falta de rigor científico em outras pesquisas, outros cientistas apontam falhas em seus estudos. “Ele analisou apenas a Floresta Vermelha, de toda a área afetada pela radiação. E a Floresta Vermelha é um lugar com uma vegetação muito estranha, mesmo antes do acidente”, comenta Mary Mycio. Segundo a autora, são poucos os animais que já viviam por lá – o que explicaria a população reduzida de bichos descrita na pesquisa de Mousseau.

“Disse a ele que seria muito mais interessante pesquisar um bosque próximo à Floresta Vermelha, que apresenta uma quantidade igual de radiação, e que tem uma vegetação completamente normal”, conta Mycio. “Ele não olhou em outros lugares e esse tipo de ciência é muito ruim”, completa.[revistagalileu.globo]

Projeto reforça preconceito ao ver homossexualidade como doença

28/2/2012   Um projeto de decreto legislativo da bancada evangélica quer interferir na autonomia do Conselho Federal de Psicologia. O texto propõe a retirada de artigos que impedem profissionais da área de tratarem a homossexualidade como transtorno.

De autoria do deputado federal João Campos (PSDB-GO), líder da Frente Parlamentar Evangélica, o projeto argumenta que “o direito da pessoa de receber orientação profissional” está sendo restringido e que o Conselho “extrapolou seu poder” de regulamentação.

No entanto, Paulo Mariante, do Identidade – Grupo de Luta pela Diversidade Sexual, lembra que os dois artigos, dentre várias normas éticas, são avanços do Conselho. Os ítens foram instituídos em 1999 após debates que relacionaram a atuação profissional do psicólogo a temas de interesse da sociedade, em especial de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros (LGBTs).

Por isso, Mariante critica a postura da bancada evangélica por “tratar a homossexualidade como doença, uma ideia superada até mesmo pela Organização Mundial da Saúde (OMS)”. Ele afirma que a postura fomenta a violência, já que a proposta “nega o direito de homossexuais existirem”.

Apesar de reconhecer avanços nas políticas públicas LGBTs nos últimos 10 anos, o militante avalia que a presidenta Dilma Rousseff tem cedido às “chantagens de fundamentalistas religiosos". Mariante lembra a suspensão no ano passado do chamado kit contra a homofobia após uma reunião com representantes das bancadas evangélica e católica do Congresso.

O material didático de combate à hostilidade a jovens homossexuais seria distribuído, apenas no primeiro ano de implementação, em 6 mil escolas da rede pública. Mariante diz que esse fato demostra que o governo federal tem sido “conivente com os ataques à diversidade sexual”.

Por fim, o militante afirma que se homossexuais vivem opressões, o apoio psicológico necessário não deve se referir à reversão de suas identidades, mas sim para conseguirem se defender de preconceitos e vivenciarem sua orientação sexual. (pulsar)[brasil]

Reynaldo Gianecchini já tem data para voltar às gravações na TV

27/2/2012    Segundo a coluna de Flávio Ricco no jornal "Diário de S.Paulo" deste domingo (26), o ator fará suas primeiras cenas do remake de "Guerra dos Sexos" em junho, em uma locação de frente para o mar no Guarujá, litoral de São Paulo.

Antes, ele voltará aos palcos no próximo dia 13, com a reestreia da peça "Cruel". A temporada acabou sendo interrompida em julho. No mês seguinte, o galã iniciou um tratamento médico para lutar contra um linfoma.

Em entrevista à à revista ÉPOCA desta semana, Gianecchini falou sobre a recuperação. ""A operação de medula para mim foi um renascimento."[revistaquem]

Desculpas: elas realmente melhoram a situação?

Por Natasha Romanzoti 
27/2/2012    Nos últimos dias, o presidente Barack Obama pediu desculpas ao Afeganistão pelas tropas da OTAN que queimaram Alcorões; a chanceler alemã Angela Merkel pediu desculpas aos parentes das 10 pessoas que foram mortas por um grupo neo-nazista; a Igreja Mórmon disse que vai disciplinar os membros que podem ter postumamente batizado Anne Frank; e um golfista profissional pediu desculpas por cuspir no campo.
Na melhor das hipóteses, desculpas públicas podem restaurar relacionamentos ou até mesmo melhorá-los. Na pior das hipóteses, o autor da gafe acaba tendo que pedir desculpas pela tentativa fracassada e a ofensa inicial.
Mas mesmo uma péssima tentativa de desculpas é melhor que nada. “Em muitas situações, um pedido de desculpas inicial,
mesmo que estranho, pode ser resolvido com um esforço da outra parte, especialmente se ela acredita que a pessoa que faz o pedido de desculpas está sendo sincera”, disse a advogada e especialista em ética empresarial, Lauren Bloom. “Quando algo dá errado, as pessoas muitas vezes precisam falar sobre isso mais de uma vez. Mesmo uma desculpa desajeitada pode abrir a porta a um diálogo de cura”, explica.
Os especialistas concordam: pública ou privada, a sinceridade é o elemento mais essencial de um pedido de desculpas.
Isso adiciona uma camada de complexidade a desculpas públicas: não faltam opiniões públicas para sugerir segundas intenções.
“Por exemplo, quando o astro da liga americana de futebol Michael Vick tentou se desculpar pelo abuso de animais, muitas pessoas sugeriram que ele estava apenas tentando voltar nas boas graças da liga esportiva para que pudesse jogar de novo”, disse Ryan Fehr, professor de administração na Universidade de Washington.
Tem também o caso da estrela de golfe Keegan Bradley, que se desculpou no Twitter pelo seu hábito de cuspir. “É como um reflexo, eu nem sequer sei que estou fazendo isso”, ele twittou.
O incidente tornou-se tão público que o jogador sequer acreditava em quantas pessoas se importavam com isso.
Como o mundo inteiro está assistindo, figuras públicas muitas vezes se esforçam demais em seus discursos, e o pedido de desculpas não parece sincero.
Mas, quando bem feito, os efeitos de um pedido de desculpas são esmagadoramente positivos. “O que um pedido de desculpas faz é dividir a ação e a pessoa”, disse Fehr. “Ela diz: a ação foi ruim, mas eu não sou realmente uma pessoa má, tenho boas intenções. E assim as pessoas podem recuperar o seu status na comunidade. E, para a vítima, permite que o processo de perdão comece”.
Então, qual é a desculpa perfeita? Especialistas têm suas próprias definições, mas compartilham elementos comuns:
- Momento certo: a pessoa que pede desculpas precisa esperar tempo suficiente para determinar exatamente quando o pedido de desculpas será a seu favor;
- Arrependimento genuíno;
- Expressão de lamento: a linguagem pode variar e é mais eficaz quando corresponde à da vítima;
- Fazer as pazes: ações futuras também são importantes. Se o autor mostra a vítima que fará melhor da próxima vez, o perdão é mais fácil;
- Assumir a responsabilidade;
- Conexão emocional: reconhecer a dor que você causou ajuda a vítima e o agressor a se conectar;
- Disposição para ouvir a vítima.
Ao contrário, não é interessante ficar na defensiva, negar ou usar o condicional. Por exemplo, políticos muitas vezes cometem esse erro com frases como “Eu peço desculpas se ofendi alguém”. “Sua sinceridade imediatamente entra em questão”, disse Bloom. “Você sabe que tem de pedir desculpas ou não estaria fazendo isso”.
Se um pedido de desculpas funciona ou não depende, em grande parte, da pessoa ou das pessoas que tem que lhe desculpar. Reações a desculpas variam amplamente.
“Quando pesquisamos 500 pessoas sobre o que elas querem ouvir em um pedido de desculpas, as suas respostas caíram em cinco áreas”, disse a psicóloga Jennifer Thomas. “Eu pensei que uma das cinco categorias iria ter a maioria dos votos, que é ‘Me desculpe’, mas nenhuma das cinco tem mais de 28% de interesse em ser ouvida”.
Ou seja, é difícil saber o que você tem que dizer pro pedido de desculpas dar certo. Mas se você quiser mesmo ser desculpado, sinceramente, vai arrumar um jeito de demonstrar isso, certo?[LiveScience]

Em entrevista, Reynaldo Gianecchini nega boatos de que tem Aids e desabafa Gianecchini falou também sobre seu desejo de voltar aos palcos o quanto antes

25/2/2012  O ator Reynaldo Gianecchini negou ter Aids em entrevista à revista Época. O boato surgiu depois que o ator foi diagnosticado com linfoma. À revista, Gianecchini disse que a fofoca se espalhou depois que ele procurou um infectologista por conta de dores na garganta e nos gânglios. "Eu não poderia jamais fazer o tratamento agressivo que fiz se tivesse aids. Primeiro chequei todos os vírus, todas as bactérias, para depois chegar ao câncer. Por isso posso dizer com toda a alegria do meu coração para quem se preocupa realmente comigo: “Eu não tenho aids”.

Gianecchini falou também sobre seu desejo de voltar aos palcos o quanto antes."A doença me pegou num momento muito cheio de vida e de muitos planos de trabalho", contou.


Gianecchini falou sobre sua rotina e assuntos polêmicos

Entre outros assuntos polêmicos, o ator também falou sobre os boatos de que teria um caso com seu ex-empresário, para quem teria dado um apartamento de presente. Classificando a maneira como a história foi contada de "leviana", Gianecchini explicou que ele nunca foi seu empresário, e sim uma espécie de administrador, e que os dois brigam na Justiça. "Eu o estou processando, porque tem muito dinheiro meu de que ele precisa prestar conta. Não é uma questão amorosa, definitivamente, que está em jogo. Não é uma questão homossexual".

Apesar de dizer que nunca teve nenhum envolvimento romântico com outro homem, Gianecchini disse que "essa questão da sexualidade é muito mais complexa do que as pessoas tendem a achar. Cada um tem sua sexualidade".[correio24horas]

Novo lagarto multicolorido surpreende cientistas

25/2/2012
Pesquisadores descobriram uma nova espécie de lagarto que chama a atenção pelas cores vivas e pelo local incomum em que vive. Os répteis foram encontrados na Cordilheira dos Andes, no sul do Peru, em altitudes variando entre 1.600 e 2.100 metros. O local é estranho para encontrar lagartos, de acordo com os cientistas, por causa das condições frias.
O réptil semi-aquático, chamado de Potamites montanicola, tem aproximadamente 6,4 centímetros de comprimento. Cientistas estão intrigados sobre como o animal consegue sobreviver em condições alpinas, já que os lagartos não tem sangue quente.
Potamites montanicola, ou habitante da montanha, como também é conhecido, aparenta ter hábitos noturnos e evita a luz do sol. Durante a noite, eles enfrentam temperaturas severas e foram encontrados nadando em riachos. Ainda não é claro como os lagartos conseguem reunir energia para correr ou mergulhar nessas condições. [LiveScience]

Vídeo: homem colide contra montanha a 190 km/h

Jeb Corliss é um basejumper experiente que já pulou da Torre Eiffel em Paris, das Torres Petronas na Malásia e de várias outras localidades com apenas retalhos de material para mantê-lo no ar – um wingsuit (macacão “com asas”).
Mas, na última semana, quando ele pulou da Montanha da Mesa, na África do Sul, ele bateu em um dos afloramentos da colina em plena velocidade. De alguma forma, ele sobreviveu.
Jeb Corliss literalmente encarou a morte. Infelizmente, seu pé prendeu numa rocha enquanto ele voava a 190 quilômetros por hora. Imagens do acidente dão uma ideia do que houve, mas é muito difícil saber o que aconteceu direito.
Como o vídeo mostra, apesar da colisão, ele ainda conseguiu abrir seu paraquedas, e, graças a isso, sobreviveu. Agora em reabilitação, Jeb diz que assume a responsabilidade pelos riscos que correu e que está muito feliz por tudo ter dado “certo” no final. Que sorte, hein, Jeb…[Gizmodo]


Carnaval em Cubatão é pura Tradição com grande aceitação popular

Postado por Departamento de Imprensa
25 de Fevereiro de 2012

Comunidade considera um dos melhores carnavais dos últimos tempos. O resgate das matinês e Carnaval de rua é citado como diferencial em 2012
Pelo menos 40 mil pessoas se esbaldaram no Carnaval de Cubatão e nas dezenas de atividades realizadas na Cidade, contemplando os mais diversos espaços e públicos. Se juntássemos todas as atividades carnavalescas realizadas do fim de janeiro até agora, teríamos quase 15 dias de festa e folia, sem parar. O encerramento da programaçao aconteceu na terça-feira gorda (21/2), na Vila Fabril, com o projeto Carnaval nos Bairros. Só ali, pelo menos cinco mil pessoas lotaram a Rua do Alojamento: pé no chão, marchinhas, apresentação de frevo e os grandes sucessos do samba e do axé, tudo isso embalado por um trio elétrico fechou a folia em grande estilo.

Criado para celebrar o carnaval de rua e a integração da comunidade, o Carnaval nos Bairros percorreu a Vila São José, Conjunto São Judas, Vila Esperança e Vale Verde, com participação maciça dos moradores. No Jardim Nova República, a festa invadiu a madrugada, arrastando famílias inteiras.

A criançada também aproveitou o Carnaval com as Matinês que rechearam as tardes no Novo Anilinas. Em três dias de folia, cerca de três mil pessoas passaram pelo salão montado em uma das quadras. “Que ótimo que a Prefeitura trouxe de volta as matinês para as crianças. Espero que continue nos próximos carnavais. Aqui sabemos que não haverá baderna e que os nossos filhos estão em segurança”, disse Daniela dos Passos, moradora do Parque Fernando Jorge, enquanto observava a filha, Mariana, de 3 anos, brincar com alguns dos pequenos super-heróis que compareceram à festa: Mulher Maravilha, Batman, The Flash, Super-Homem e muitos outros.

Além das tardes embaladas por confetes e serpetinas, a garotada também participou de um Concurso de Fantasias. A pequena Yasmin, de um ano de idade, venceu a eleição com seus adereços de “Branca de Neve”, sendo premiada simbolicamente. Para a mãe, Andréia Mota Fragoso, motivo de orgulho e felicidade. A retomada das Matinês vem de encontro a uma antiga reivindicação da comunidade, já que os clubes onde eram realizadas as festas infantis não organizam mais eventos desse tipo e muitos já não existem mais.

Desfile Oficial e Concursos das Rainhas: sucesso total – público de 10 mil pessoas sem nenhuma confusão. O Desfile Oficial das Agremiações da cidade, que teve como vencedora a GRCES Independência, aconteceu em clima de muita paz. A Passarela Mestre Lú ficou iluminada com as fantasias e carros alegóricos que expressaram com muita alegria as mensagens dos enredos das Escolas. A Independência falou sobre a Bahia; já a vice-campeã, GRES Nações Unidas, fez um passeio pela Miscigenação do Povo Brasileiro; e a GRES Unidos do Morro, 3º lugar, homenageou lindamente os nordestinos que deixaram sua terra natal em busca de uma vida melhor em Cubatão. Os Desfiles de Blocos da Dona Dora, no Centro, e da Dona Doroti, no Jardim Casqueiro, também atraíram grande público.

Vale lembrar que o Carnaval cubatense começou ainda em janeiro, com a eleição da Corte, através dos Concursos da Rainha do Carnaval e da Rainha Gay. Pelo menos 6 mil pessoas participaram dos dois eventos, celebrando a alegria e a diversidade.

Com o tema “Da Raiz à Tradição”, o Carnaval 2012 em Cubatão teve o tratamento que sempre mereceu: da valorização dos artistas, com participação total do público. Antes dos dias de Festa foram realizadas oficinas gratuitas de Frevo para bailarinos da cidade, além da participação do pessoal do Projeto “Arte nas Cotas”, que criou desenhos utilizados em toda a identidade visual do Carnaval na Cidade, presentes em faixas, cartazes, banners, etc.

Para o secretário de Cultura, Welington Borges, o objetivo do Governo Municipal é de levar essa Festa legitimamente brasileira e popular para junto das pessoas. “Foi muito interessante ver as pessoas cantando as marchinhas nos projetos nos Bairros e nas Matinês, por exemplo. Dessa vez, a comunidade não apenas assistiu, mas participou do Carnaval pulando e se divertindo. O balanço de tudo isso é muito positivo”, afirma.[cubatao]



Texto: Morgana Monteiro
Foto: Rodrigo Fernandes (RF), Henrique Ramos (HR) e Carlos Felipe (CF)
Link para fotos:
Carnaval nos Bairros: Vila São José Vale Verde S. Judas Tadeu Bolsão 8 Fabril
Escolas de Samba: Nações Unidas Independência Unidos do Morro
Matinê no Anilinas

20120223-SECULT-Carnaval balanço-MM

Entrevista a Michael Fassbender, o protagonista de «Vergonha»


25/2/2012   Foi o grande esquecido dos Óscares. Ainda que, em «Vergonha», não deixe de ter a mais marcante prestação masculina do ano.

michael_fassbender_jan_2012_three.jpg
Michael Fassbender. Nome a reter. Seria um dos mais creditados candidatos ao Óscar. Isto caso o pudor envergonhado dos membros da Academia de Hollywood não tivesse ignorado a magistral performance de um homem dominado por uma incontrolável pulsão sexual. Depois de em 2008 perder quinze quilos, ao encarnar o preso político Bobby Sands, em Fome, este germano-irlandês de 34 anos retoma a colaboração com o realizador e artista conceptual Steve McQueen para dar vida a Brandon Sullivan, um novaiorquino adicto por sexo e pornografia em Vergonha. Quando não encontra uma parceira ocasional, contrata uma prostituta, recorre à masturbação ou procura até novas sensações num bar gay. Sempre com frieza, pois o calor humano está aqui posto de lado. Até que recebe a visita da irmã carente, Sissy (espantosa Carey Mulligan), que quase lhe arranca uma lágrima pela sua interpretação downtempo de New York, New York, numa sequência, só por si, digna de um prémio para a actriz. Vergonha vai dar muito que falar. Preparem-se para ficar enfeitiçadas, mas também enregeladas, diante de tanta emoção escondida. 
Depois de uma ainda algo reticente entrevista em Veneza, eis que voltamos a encontrar Fassbender em San Sebastian. De t-shirt branca, barba de três dias, um imenso sorriso e... muita vontade de falar. O tema de conversa poderia vir a propósito das inúmeras iguarias da região basca, do relato da sua viagem de moto pela Europa, ou o método de trabalho com Steve McQueen. Mas sabíamos ambos que o sexo estaria naquela sala do luxuoso Hotel Maria Cristina, em pleno centro histórico. De qualquer forma, foi curioso como acabámos por falar de tudo um pouco. De muitos prazeres. Até da crise. Só faltou mesmo a gastronomia. Conversa franca e aberta. Sem rodeios. Mas só para gente crescida.

A propósito do título do filme, leva-me a perguntar-lhe: sentiu alguma vez vergonha durante a rodagem?
É claro que tirar a roupa diante das outras pessoas é algo embaraçoso. O que faz é que nos fiquemos a conhecer muito depressa. Acho eu... (risos) Sobretudo quando, como acontece neste filme, temos de simular cenas de sexo com todo o realismo. Nessa altura, o mais importante é tentarmos fazê-los sentir confortáveis, que não estão a ser usados.
Numa sociedade em que o sexo é sobrevalorizado, e em que as mulheres se vestem da forma mais sexy, o cinema vende sobretudo personagens ultra-machistas. Não é contraditório? O que se lhe oferece dizer sobre isto?
Não sei, mas é uma boa questão. Ao mesmo tempo, se vemos um pénis no ecrã isso causa logo uma grande agitação. A verdade é que o corpo das mulheres sempre foi explorado sexualmente. Será que temos medo delas? Não sei. Por isso, não tenho uma resposta para essa pergunta, mas sempre achei algo bizarro. Até porque, continuamos a viver num mundo bastante conservador. É, portanto, uma contradição. Podemos ver na TV uma imagem de uma cabeça cortada, mas não podemos ver uma cena de sexo no cinema? As mensagens que estão a ser enviadas são bastante confusas.
Apesar de tudo, os indicadores mostram também que as mulheres sonham com esse tipo ideal de homens machos. Tem a mesma resposta?
É complicado perceber de onde vêm essas mensagens, porque a maior parte é-nos vendida. Veja bem, a pintura de há 100 anos atrás era muito mais explícita e era vista como algo belo, mas hoje, uma vez mais através do marketing, um corpo super-magro parece ser o modelo ideal de beleza. Será o mais atraente para os homens? É difícil perceber o que é realmente o nosso instinto. 
shame-movie-image-michael-fassbender-05.jpg 

Não sei qual é a sua opinião, mas não me agradam muito as mulheres excessivamente magras...
Eu acho as mulheres atraentes em todos os tamanhos e medidas. Pode ser cliché, mas se alguém se sente confortável e mostrar elementos que possamos considerar de alguma fraqueza na sociedade de hoje, por exemplo, comendo o que quiser, acho que isso pode ser muito mais atraente.
Poderá ser uma prisão pensar no que os outros podem pensar de nós. Uma vez mais, é essa pressão de para vestirmos determinadas roupas e só comer comida light. Isso cria demasiado stress.
Sente que depois de Vergonha as pessoas o olham de outra forma? Talvez porque já o viram sem roupa? (risos)
Não tinha pensado ainda nisso, mas obrigado por me lembrar (risos)... Foi divertido em Veneza, onde o filme foi mostrado pela primeira vez. Foi um pouco estranho, mas já acabou. Para mim, o filme está feito há um ano. Agora, agrada-me que as pessoas estejam as responder bem. É um tema delicado para se lidar, ainda que relevante. Há nele elementos com que todos podemos relacionar-nos, até mesmo alguns um pouco extremos. Agrada-me que o público esteja a ser inteligente e compreenda o que vê no ecrã.
Haverá alguma possibilidade de estender este tipo de personagem ao universo de glamour em Hollywood?
Uma vez mais, é um pouco como ir ao buffet. Onde temos sexo, drogas, álcool, atenção, adoração. E se não tivermos um limite para a sedução e para a fantasia, sim, acho que poderemos ser sugados para essa comparação. Até porque viajamos bastante e estamos fora de cada muito tempo. Nesse sentido, concordo, existe um pouco de solidão.
No seu filme anterior, «Um Método Perigoso», interpreta o psicólogo Carl Jung. Posso pedir-lhe para analisar a sua personagem de «Vergonha» de um ponto de vista freudiano?
(Risos) Ok, um bom desafio... Por onde começar? O lado interessante é que tanto em Um Método Perigoso como em Vergonha é o sexo que se debate. Só que em  Vergonha de uma outra forma, um século anos depois. Hoje o sexo teve uma grande mutação, está em todo o lado. Quer estejamos a comprar uma gasosa ou uma caixa de cereais. O sexo está lá para vender o produto. Desde logo porque se trata do nosso instinto mais primário. Por isso é manipulado e vendido depois sob a forma de marketing. Para o Brandon há tanta informação que determina o nosso comportamento que acaba por produzir essa tal ansiedade e um comportamento algo patológico. 
Teve na verdade dois anos de grande intensidade. Explique um pouco como foi esse período? Teve altos e baixos?
Para ser franco, acho que não tive muito tempo para pensar nisso (risos)... Foram vinte meses sem parar, entre diversos trabalhos. Terminava um filme e entrava de imediato em preparação para outro. Sinto-me abençoado e sortudo em poder estar empregado. Algo que nunca dei como certo. 
Antes de ser ator?
Exactamente. Trabalhei atrás do balcão ou tive empregos temporários. Nessa altura, ganhar a vida como actor não passava de um sonho. Hoje, poder olhar para trás e perceber com quem já trabalhei, parece-me até um pouco irreal.
Neste momento sente-se assustado com a fama que entretanto alcançou?
Sem dúvida. 
É algo que o incomoda?
Não, nem por isso. É claro que há sempre fãs, sobretudo em festivais. Mas na verdade acho que não ainda assim muita gente que me conheça. O que é bom.
É verdade que fez recentemente uma longa viagem de moto?
Sim. Era uma ideia que tinha explorado com o meu pai há cerca de dez anos. Na altura nem sequer tinha moto. Mas foi sempre algo que quis fazer. 
Michael-Fassbender-Carey-Mulligan-Shame-Theatrical-Still~0.jpg
Carey Mulligan e Michael Fassbender
Por onde andou?
Parti de Londres, atravessei o ferry para a Holanda; daí para Alemanha, Áustria, Eslovénia, Croácia, Montenegro, Itália, Sicília e Veneza. Entretanto tive os diversos compromissos para promover o filme.
Teve algum acidente de percurso?
Não, felizmente (risos). 
Mudando um pouco de assunto: quando descobriu que era actor que queria ser, calculo que a vergonha foi superada.
Sim, (risos), nem mais. Isso aconteceu aos dezassete anos. Acabou por ser um sonho tornado realidade. 
Como encara toda esta época de prémios, em que o seu nome é frequentemente referido e distinguido? 
É estranho, devo dizer, porque é informação que não sei o que fazer com ela. Por isso tento também não lidar com ela. Prefiro concentrar-me no trabalho. São coisas que se decidem por elas próprias, não é nada que eu possa controlar. Nem vale a pena pensar muito nisso.
Como convive com o seu lado irlandês e alemão?
É uma boa mistura. Do lado alemão tenho uma boa ética de trabalho e disciplina. Posso ter recebido algo desse lado; quando à Irlanda, é um país pequeno em que as pessoas amam a arte. E uma das grandes moedas de troca é a habilidade para contar histórias. Por isso acho que acabo por ter uma boa mistura de ambos os lados. Mas num mundo que se torna cada vez mais pequeno, sinto-me cada vez mais europeu. Sobretudo depois desta longa viagem que fiz pela Europa. Foi bom ver essa diversidade em espaço tão concentrado. Mas com um bom entendimento. Mesmo depois de guerras, continuamos a beneficiar desse herança comum que nos une. 
Michael-Fassbender-in-Shame2~0.jpg 
Ao olhar para a sua carreira de actor, do que mais se orgulha de ter feito até agora?
Não sei, mas por exemplo, gosto muito da adaptação para teatro que fiz de Cães Danados, de Tarantino. Fiz também alguma pantomima. O que aprendi é que é preciso entusiasmo e acreditar no que se faz. Quanto ao cinema, claro que Fome é algo particular, pois foi o início da minha carreira.
E porque motivou também uma impressionante transformação física?
Nem tanto por isso. Perder peso foi mais uma questão de disciplina e seguir uma contagem de calorias durante dez semanas. A verdade é que imediatamente após Fome deu-se a recessão de 2008, que foi difícil para todos. Mas eu tive alguma sorte porque pude, através desse filme, continuar a trabalhar.
Acha que o cinema poderá ser um meio de união e criatividade no meio de toda esta crise?
Acho que sim. É claro que muita gente está revoltada, mas também estão unidas para se exprimir o que sentem. Isso poderá ser bom. Levar a que as pessoas partilhem sentimentos e levantem as mesmas questões. Vivemos numa sociedade civilizada, mas na altura em que nos tiram o dinheiro que coloca a comida na mesa ou paga a electricidade tudo se complica rapidamente. Os distúrbios que aconteceram em Londres também têm a ver com isso. E o mesmo se passa com a irresponsabilidade dos bancos. Quem já vivia nos limites deixou de poder pagar as suas contas. Isso aconteceu comigo também. Tive créditos mal parados da primeira vez que pedi um empréstimo. Agora temos todos de pagar por isso. [r7cinema]

Paulo Portugal, em San Sebastian
Artigo originalmente publicado na Máxima